Time GRANDE!

Como você sabe que um time é Grande, mas GRANDE, mesmo? Quando os torcedores de TODOS os outros times torcem contra ele, oras!

Do proprietário deste blog, Marcos Doniseti.

domingo, 23 de abril de 2017

Por que o Corinthians chegou à final do Campeonato Paulista e o Palmeiras não? - Marcos Doniseti!

Por que o Corinthians chegou à final do Campeonato Paulista e o Palmeiras não? - Marcos Doniseti!
Fábio Carille teve um excelente Mestre: Tite, é claro. 
Em teoria, o São Paulo era um adversário mais difícil para o Corinthians do que era a Ponte Preta para o Palmeiras. 

Assim, era mais provável que o Palmeiras chegasse à final do Campeonato Paulista e que o Corinthians, que é um time ainda em formação e que conta com um treinador (Fábio Carille, sério e correto) em início de carreira, fosse eliminado pelo São Paulo. 

Pelo menos a chance de eliminação do Corinthians era, teoricamente, maior do que a do Palmeiras. Quanto à isso, penso que restam poucas dúvidas.

O Corinthians enfrentava um rival tradicional, o SPFC, enquanto que o Palmeiras jogava contra um time tradicional, mas que não está sempre decidindo títulos importantes e que ainda corre atrás de um título de expressão na Primeira Divisão, que é a Ponte Preta. 

Obs: É bom esclarecer que considero que o time da Ponte Preta é muito bom, sendo muito bem organizado taticamente e possuindo bons valores individuais. O clube de Campinas também tem um bom e experiente treinador, que é o Gilson Kleina. O Corinthians poderá até ser Campeão Paulista, mas terá que jogar muito bem nas duas partidas contra o bom time campineiro, que chegou à decisão após eliminar Santos e Palmeiras. E nenhum time consegue fazer isso se não tiver méritos. E a Ponte Preta os tem, sem dúvida alguma. 

No entanto, o Corinthians chegou à decisão do Paulista, enquanto que o Palmeiras não conseguiu.

Por que isso aconteceu? Por vários motivos. 

Entendo que um dos fatores principais para que isso tenha acontecido é que o Corinthians fez um planejamento muito melhor do que o do Palmeiras para essa temporada, mesmo tendo investido muito menos dinheiro do que o rival. 

O Palmeiras/Crefisa se preocupou em contratar jogadores caros, de grande apelo junto à torcida e a mídia esportiva (Guerra, Borja, Felipe Mello, Michel Bastos), e que ganham salários altíssimos, mas fez isso sem consultar a sua comissão técnica para saber se eles eram, realmente, os jogadores dos quais a equipe precisava para suprir as suas deficiências. 

Com isso, chegaram jogadores para posições nas quais o Palmeiras já tinha bons jogadores (caso do ataque) e não vieram para as posições mais carentes do time (caso da lateral esquerda). O planejamento do Palmeiras, se é que houve algum, foi muito mal feito, portanto. 

Já o Corinthians, cuja diretoria cometeu inúmeros erros em 2016 (vender o Bruno Henrique e deixando-o sair no meio do Campeonato Brasileiro foi um dos mais graves), fez um planejamento realista e pé-no-chão para a temporada deste ano. 

Até porque não havia dinheiro em abundância para sair contratando, o Timão se preocupou em trazer jogadores não muito badalados, mas que viessem para suprir as deficiências do time, e fez isso sem gastar quase nada.

Assim, Gabriel assumiu a função que era de Bruno Henrique, e para a qual não houve substituto em 2016. Maycon, jogador revelado pela Base corintiana e que havia feito uma boa temporada pela Ponte Preta no ano passado, retornou para o clube e tem um bom desempenho nesta temporada, atuando junto com Gabriel na marcação do meio-de-campo e na proteção da defesa. 

A defesa corintiana, por sua vez, ganhou o reforço do ótimo zagueiro Pablo, que era um ilustre desconhecido e uma verdadeira incógnita para a torcida corintiana, mas que se transformou em um verdadeiro xerife da defesa, sendo que dificilmente perde uma disputa, seja pelo alto ou por baixo. Seu desempenho é tão bom que a torcida já exige a sua contratação em caráter definitivo. 

Além disso, a chegada de Jadson qualificou a criação do meio-de-campo, onde apenas Rodriguinho se destacou em 2016. E Jô, em quem muitos não acreditavam, está se tornando o 'Rei dos Clássicos', pois marcou 5 gols em 5 jogos contra os principais rivais do Corinthians (foram 3 gols marcados no SPFC, 1 no Palmeiras e 1 no Santos) neste Paulista.  

Com isso, o Corinthians qualificou e melhorou, inegavelmente, o seu elenco, mesmo sem ter gasto muito. Afinal, Jadson, Jô e Gabriel vieram para o Timão quando estavam sem vínculo com qualquer outro clube. 

Portanto, o Corinthians não gastou um centavo sequer para que eles viessem jogar pelo clube. 

Como já afirmei, Maycon já é jogador do Timão, revelado na Base, e retornou de empréstimo, enquanto que Pablo veio emprestado pelo Bordeaux. E o jovem Guilherme Arana, que já era bastante utilizado desde 2015, tornou-se o titular absoluto da lateral-esquerda após a saída de Uendel para o Inter-RS.

Simultaneamente, vieram alguns jogadores para compor elenco (Paulo Roberto, Felipe Bastos, Kazim) e Carille apostou em vários jogadores da Base, que foram utilizados em várias partidas (Léo Jabá, Léo Santos, Pedrinho). 

O grande problema do Corinthians neste ano, no entanto, está sendo a total falta de tempo para treinar. Até agora o Corinthians não teve uma única semana 'cheia', ou seja, inteiramente livre para treinar. As partidas do Corinthians sempre foram disputadas, desde o final de Janeiro, no meio de semana e no final de semana. 

A próxima semana, antes da primeira partida decisiva contra a Ponte Preta (em Campinas), será a primeira na qual Fábio Carille poderá treinar os jogadores durante todos os dias, o que é algo inédito para o Timão em 2017.

É por isso que, até agora, Carille está usando o mesmo esquema tático (4-2-3-1) e está sempre colocando o mesmo time titular para jogar: Cássio, Fagner, Balbuena, Pablo e G. Arana; Gabriel, Maycon; Jadson, Rodriguinho, Romero; Jô. 

Com certeza, os torcedores do Corinthians já decoraram a escalação do time. 

Afinal, fazer isso é a única maneira de tentar entrosar o time, ou seja, fazer com que os mesmos jogadores joguem sempre juntos e sempre no mesmo esquema tático. 

E os bons resultados colhidos pelo Corinthians no Campeonato Paulista e na Sul-Americana (vitória de 2 X 0 sobre a Universidade do Chile) mostram que o trabalho de Carille está no rumo correto. 

A eliminação na Copa do Brasil, para o Inter-RS, se deu em função dos inúmeros gols perdidos pelo time naquela segunda partida (foram cinco) e não porque o trabalho de Carille esteja sendo mal feito. Muito pelo contrário. 

E estes bons resultados fizeram com que os próprios jogadores do Corinthians passassem a acreditar cada vez mais no trabalho sério de Carille, algo que Gabriel disse após o final do primeiro jogo semifinal contra o SPFC. E Jadson afirmou, logo depois desta mesma partida, que o treinador 'tem o grupo na mão'. 

Assim, Carille é respeitado pelo grupo de jogadores. E ele também tem o respaldo da diretoria do clube, que afastou Cristian do elenco quando este criticou o treinador em uma entrevista. 

Desta maneira, Carille pode fazer o seu trabalho sem sofrer maiores pressões, a não ser aquelas da própria Fiel Torcida, que é sempre muito exigente e que deseja sempre ver o Corinthians ser campeão. 

E a chegada à final do Paulista 2017 após vencer três jogos e empatar contra os rivais (São Paulo, Santos e Palmeiras), fazendo com que o Corinthians permaneça invicto em clássicos disputados neste ano, mostra o potencial do time corintiano, que deverá ter mais tempo disponível para treinar após o fim do Campeonato Paulista. 

Afinal, depois que o Campeonato Paulista terminar, o Corinthians irá disputar apenas dois campeonatos simultâneos (Brasileiro e Sul-Americana), enquanto que os seus principais rivais irão disputar três (Brasileiro, Copa do Brasil, Libertadores ou Sul-Americana). Com isso, o Corinthians sofrerá um desgaste menor até o final desta temporada. 

Porém, é bom que se diga que o Corinthians precisa, sim, reforçar o seu elenco e é claro que a diretoria do clube sabe disso. Embora isso não tenha sido anunciado, tudo aponta para que o bom jogador Clayson, da Ponte Preta, possa vir a jogar pelo Timão depois que o Paulista terminar. 

Mesmo que Clayton (que jogou bem contra o Luverdense, mas que caiu de rendimento depois) comece a se destacar e Marquinhos Gabriel (que fez duas boas partidas contra o Inter-RS) e Giovanni Augusto (que entrou jogando bem na primeira partida contra o Inter-RS) se recuperem, seria bom que o Corinthians contratasse mais um goleador (para o caso de quando Jô não tiver condições de jogo), um lateral-direito, um volante de marcação e um zagueiro. 

Afinal, durante o ano o time sofrerá com desfalques em função de jogos da Seleção Brasileira (Fagner sempre é convocado; G.Arana é convocado para a Seleção sub-20) e contusões, suspensões. 

E talvez Carille possa usar, mais vezes, alguns jogadores da Base (Léo Jábá, Marciel, Pedrinho, Carlinhos, Léo Santos) que tiveram pouco espaço neste início de temporada em função da limitação imposta pela FPF para a inscrição de jogadores na competição e porque Carille precisou priorizar o entrosamento do time em função de não ter tido tempo para treinar. 

Assim, com mais alguns reforços, o Timão teria um time mais qualificado e em condições de conquistar mais um título no segundo semestre (do Brasileiro ou da Sul-Americana). 

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Corinthians em 2017: Um time em formação! - Marcos Doniseti!

Corinthians em 2017: Um time em formação! - Marcos Doniseti!
Conquista do título do Paulista e de vaga para a Libertadores de 2018 devem ser as prioridades do Corinthians para 2018.
Fui ao jogo ontem na Arena Corinthians, partida na qual o Timão acabou sendo eliminado (injustamente) nos pênaltis pelo Internacional, e quero fazer algumas observações: 

1) Até os sinalizadores da Gaviões da Fiel aparecerem, o Timão dominava o jogo e já ganhava de 1 X 0. 

Daí, o arbitro parou o jogo por 5 minutos, esfriando a partida, até que todos os sinalizadores fossem apagados. Quando a partida foi reiniciada, o Corinthians piorou e o internacional subiu de produção, tomando a iniciativa da partida que, até aquele momento, era do Timão.

Logo, a torcida do Corinthians prejudicou o time, sim, em função de uma iniciativa idiota (acender os sinalizadores, o que é irregular e que poderá resultar na perda de mando de jogos na Arena); 

2) Está mais do que na hora de punir esses burros e trogloditas que acendem sinalizadores durante os jogos e que agem no sentido de prejudicar o clube, que poderá até perder mandos de jogos em função disso. 

A locutora da Arena Corinthians vive dizendo que temos mais de 300 câmeras no local. Então, que as utilizem para identificar os energúmenos que acendem sinalizadores e os proíbam de entrar na Arena por, no mínimo, um ano. 

Assim, eles terão tempo de sobra para pensar na vida e poderão parar de prejudicar o Corinthians; 

3) Quanto ao jogo, o Timão errou na estratégia da partida. 

Depois que fez 1 X 0, logo aos 7 minutos (gol de Maycon), o Corinthians deveria ter sufocado o Inter, para marcar o segundo gol. Não o fez, embora a interrupção provocada pela sinalizadores tenha sido prejudicial. 

Mas o time poderia ter feito isso depois que a partida foi reiniciada e, também, no início do segundo tempo, e não o fez; 

4) Os jogadores do Timão tem que parar de perder tantos gols feitos.  

Mesmo jogando defensivamente, o Corinthians teve dois gols feitos perdidos apenas no primeiro tempo, com Jô e Romero. No segundo tempo, após o empate do Inter, o Timão foi para cima e perdeu mais três gols feitos (Pablo, Rodriguinho e Clayton). 

Falando (ou escrevendo...) claramente: Quem perde cinco gols feitos em um jogo não tem como vencer uma partida, mesmo sendo superior ao adversário; 
Fábio Carille conversa com Marquinhos Gabriel. O jogador do Timão tem entrado nas últimas partidas e está jogando bem. Carille deveria colocá-lo no time titular, por vários jogos seguidos, a fim de que pudesse ganhar ritmo de jogo e adquirisse entrosamento. Sua entrada tornaria o time mais técnico e ofensivo. Romero passaria a ser opção para o segundo tempo, ajudando a fechar os espaços e a puxar os contra-ataques quando o Timão estivesse com uma boa vantagem no placar. 
5) Um time que deixa de marcar cinco 'gols feitos' em um jogo, não perde para o adversário. O Corinthians não perdeu para o Inter ontem. Perdeu para ele mesmo. 

6) O Corinthians precisa contratar, urgentemente, um goleador, alguém que marque muitos gols. Jô sempre faz o seu, mas é pouco, fato que acontece por ele jogar de forma muito isolada no ataque do Timão. 

O Corinthians precisa desse outro goleador, até para deixar os adversários preocupados com o mesmo e não sacrificar tanto o Jô, que está jogando bem. Ele está participando da marcação, ajudando na organização de jogadas de ataque e, ainda, marca os seus gols, principalmente em clássicos; 

7) O esquema tático do time precisa ser mais flexível durante os jogos, modificando-o quando for conveniente, indo além do sistema defensivo e de organização contra-ataques (sendo que a maioria dos mesmos ainda são desperdiçados). 

Assim, o Carille precisa avançar um jogador do meio-de-campo para atuar próximo ao Jô, que fica muito isolado na frente. 

Jô ganha muitas jogadas aéreas, mas quase nunca tem alguém dele próximo para dar continuidade à jogada. Assim, jogar a bola aérea para ele acaba não dando resultado. 

Carille tem que treinar isso, apesar da falta de tempo. Outro dia mesmo, logo após uma partida do Timão, Cássio disse que muitas jogadas do Timão são combinadas por vídeo, devido à falta de tempo para treinar. 

O calendário patético e ridículo do futebol brasileiro gerou uma novidade no mundo do futebol: o treino virtual. 

Assim, quando for lançar a bola aérea para o Jô, Carille deveria orientar o Rodriguinho ou Jadson para ficarem perto dele e preparar os alas (Fagner e Arana) para organizar uma jogada rápida de contra-ataque, que pegue a defesa adversária desorganizada.

Outra possível solução, a fim de tornar o time mais ofensivo, e na qual o Carille já deve estar pensando, é colocar Marquinhos Gabriel no time titular, no lugar de Romero. Nas duas partidas contra o Internacional, M.Gabriel atuou bem, participando da articulação das jogadas de ataque do time, fazendo tabelas e dando bons passes. 

Ele tem, sem dúvida, uma técnica bem mais apurada do que Romero, embora seja bem mais fraco na marcação. Mas isso é algo que poderia ser corrigido com um melhor posicionamento e entrosamento do time. Assim, se M.Gabriel fosse deslocado para jogar mais avançado, próximo ao Jô, isso poderia render boas jogadas de ataque para o Corinthians e mais chances reais de gol seriam criadas pelo Timão;

8) Em termos de disputas de campeonato ao longo de 2017, a eliminação da Copa do Brasil pode ter um lado positivo para o Corinthians, embora ninguém goste de perder, é claro, e a derrota deixe o time um pouco abalado, principalmente os jogadores mais novos, vindos da Base corintiana (G.Arana, Maycon). 

Mas o fato concreto é que nenhum clube brasileiro tem elenco para disputar três campeonatos ao mesmo tempo durante uma única temporada. E se o Corinthians continuasse avançando na  Copa do Brasil, ele a disputaria simultaneamente ao Brasileiro e à Sul-Americana.

No Brasil, até para disputar dois campeonatos simultâneos é muito difícil, pois temos jogos no meio e no final de semana sempre, até porque o Brasil possui muitos times competitivos, em condições de conquistar títulos, o que não acontece nos campeonatos nacionais da Europa, por exemplo. 

Na Alemanha, antes do campeonato começar, todos sabem que o Bayern de Munique será o campeão. Na Itália, acontece o mesmo com a Juventus. Na Espanha, Real Madrid e Barcelona irão disputar o título. O Atlético de Madrid ganha um título do campeonato espanhol a cada 10 anos e olhe lá... 

No Brasil, antes do campeonato Brasileiro começar, temos uns 7 ou 8 times em condições de conquistar o título e é literalmente impossível prever quem será o campeão. 

A sequência absurda de jogos durante o ano não dá tempo para os jogadores se recuperarem e nem para o time treinar e melhorar o seu desempenho. Desde o início de 2017 o Corinthians não teve nenhuma semana cheia de treinos. São jogos no meio e no fim de semana sempre. E isso obriga o treinador do Timão a usar os jogos como se fossem treinos, escalando sempre o mesmo time, para que o mesmo vá se entrosando durante o ano. 

Mas o desgaste de agir dessa maneira é imenso, fazendo com que os jogadores acabem se contundindo com frequência. O fato concreto é que nenhum time aguenta isso por muito tempo. Sem falar que, com um calendário absurdo desses, não há como treinar novas jogadas e entrosar o time. 

Era visível, no jogo contra o Inter, o desgaste de jogadores como o Romero e o 
Rodriguinho, que são jogadores que correm muito durante a partida e que estão sempre jogando, ficando de fora de pouquíssimas partidas.

Assim, Carille precisará usar mais vezes o elenco que tem à sua disposição, colocando os reservas para atuar em um número maior de partidas. Mas isso também prejudica a busca do entrosamento para o time, que não tem tempo disponível para treinar... 

É um círculo vicioso e que é gerado pela péssima organização do futebol brasileiro.

E justamente por isso o Timão precisará contratar mais alguns jogadores, para fortalecer o elenco, principalmente um atacante goleador, um lateral-direito e um zagueiro. 

E toda essa situação fica ainda pior quando se trata, como é o caso do Corinthians, de um time que está em formação e de um treinador que está em início de carreira. 

Boa parte dos atuais jogadores do elenco não jogava no Corinthians em 2016 (Pablo, Gabriel, Maycon, Jadson e Jô, só para citar os titulares). Alguns reservas também são novos no clube (Clayton, Felipe Bastos, Paulo Roberto) e outros são jogadores vindos da Base que subiram para o time profissional há pouco tempo (Léo Jabá, Léo Santos, Pedrinho, Léo Príncipe) e que ainda não estão prontos para assumirem a titularidade. 

Então, trata-se de um novo time, que ainda está em formação e que não possui muito entrosamento. É visível que muitos erros (de passe, principalmente) que o time comete ocorrem por falta deste melhor entrosamento. Mas isso somente será adquirido treinando e jogando. E isso leva tempo, até pelo calendário que não deixa tempo para o time treinar de maneira satisfatória.

Então, ao ficar restrito a disputa de dois campeonatos ao longo de 2017 (Brasileiro e Sul-Americana), isso fará com que o Corinthians tenha mais tempo para treinar e possa melhorar muito ao longo da temporada.

Enquanto isso, outros clubes estarão disputando a Libertadores e ou Sul-Americana, a Copa do Brasil e o Brasileiro e irão sofrer um desgaste maior; 

9) Acredito na seriedade do trabalho do Carille, que mostra que sabe o que quer e é respeitado pelos jogadores e por grande parte da torcida, mas ele ainda precisa ganhar experiência.

A diretoria do clube já dá o respaldo necessário para o trabalho dele (vide o afastamento do Cristian após criticar o Carille publicamente). É necessário que a torcida faça o mesmo;

10) As prioridades do Corinthians em 2017 devem ser, a partir de agora: 

A) Conquistar o Paulista, pois um título elevaria a moral do time e daria mais força e confiança ao Carille; 

B) Conquistar uma vaga na Libertadores para 2018, ficando entre os primeiros colocados do Brasileiro. Se for possível conquistar algum título, ótimo. 

Vai, Corinthians!

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Palmeiras e Crefisa criam as novas regras do futebol!!! - Marcos Doniseti!

Palmeiras e Crefisa criam as novas regras do futebol!!! - Marcos Doniseti!
A programação da 'Globo' passou por uma pequena alteração devido aos acréscimos do jogo entre Palmeiras X Penarol. 
1) As partidas do Palmeiras somente serão encerradas quando o time patrocinado pela Crefisa estiver vencendo;

2) Quando o Palmeiras estiver perdendo uma partida, a mesma será prorrogada até que o time da Crefisa esteja ganhando. Daí, quanto isso estiver acontecendo a partida será imediatamente encerrada;

3) Qualquer falta cometida contra jogadores do Palmeiras será marcado pênalti, não importando o local do campo em que a mesma foi feita;

4) Nos ataques do Palmeiras jamais será marcado impedimento;

5) Jogadores do Palmeiras jamais poderão ser advertidos com cartão amarelo ou vermelho;

6) Dudu poderá modificar as decisões dos árbitros que apitarem todos os jogos do Palmeiras. Suas decisões serão soberanas e definitivas. Se o árbitro e os assistentes reclamarem, eles serão expulsos;

7) Qualquer jogador de time adversário do Palmeiras que chutar uma bola na direção do gol do time patrocinado pela Crefisa será imediatamente expulso, para aprender a deixar de ser burro;
O árbitro da partida entre Palmeiras X Penarol parece que não sabe muito sobre Matemática... 
8) Qualquer jogador de time adversário do Palmeiras que fizer um gol no time patrocinado pela Crefisa será imediatamente preso pela PM e será conduzido à delegacia mais próxima a fim de prestar depoimento;

9) Se um time estiver dificultando a partida para o Palmeiras, Dudu irá expulsar imediatamente três jogadores do time adversário, a fim de permitir que o clube patrocinado pela Crefisa possa vencer a partida sem maiores dificuldades;

10) Goleiro de time adversário que defender um chute ou finalização desferido por jogadores do Palmeiras terá as suas mãos decepadas, sendo que o mesmo não poderá ser substituído;

11) Corinthians, Santos e São Paulo estão proibidos de derrotar o Palmeiras. Se tais clubes insistirem na prática desse crime hediondo, seus dirigentes, membros da comissão técnica e jogadores serão imediatamente presos;

12) Revogam-se todas as disposições em contrário.