Time GRANDE!

Como você sabe que um time é Grande, mas GRANDE, mesmo? Quando os torcedores de TODOS os outros times torcem contra ele, oras!

Do proprietário deste blog, Marcos Doniseti.

sábado, 20 de agosto de 2016

Futebol Olimpíco - Brasil é Ouro! Futebol brasileiro pode voltar a ser respeitado novamente! - Marcos Doniseti!

Futebol Olimpíco - Brasil é Ouro! Futebol brasileiro pode voltar a ser respeitado novamente! - Marcos Doniseti!
Neymar, na partida contra a África do Sul. Ele é o principal jogador brasileiro da atualidade, mas o Brasil tem uma boa geração de jogadores que, sendo bem treinada por Tite, poderá fazer com que o futebol brasileiro volte a ser respeitado novamente. 
O Brasil ganhou a medalha de Ouro no Futebol masculino nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, o que foi uma conquista inédita, derrotando a Alemanha na cobrança de pênaltis (5 X 4, após empate de 1 X 1 no tempo normal e na prorrogação). O gol brasileiro foi feito em uma bela cobrança de falta de Neymar, que cobrou o pênalti decisivo, após Weverton defender a última cobrança alemã. 

Outro dia eu postei aqui um texto no qual eu disse que temos uma geração de bons jogadores, mas que precisamos de um grau mínimo de profissionalismo, organização e competência para voltar a conquistar títulos.

Essa conquista comprova a boa qualidade dessa geração de jogadores do Brasil, como Marquinhos e Rodrigo Caio, uma boa dupla de zagueiros, Zeca (bom lateral direito) atacantes muito bons (Luan, Gabriel Jesus, Gabigol), bons volantes (Walace e Renato Augusto) e um craque (Neymar).

Dessa Seleção olimpíca poderão sair muitos jogadores que serão convocados por Tite para a Seleção Brasileira principal. 

E olha que alguns outros bons jogadores ficaram de fora das Olimpíadas, devido à limitação de jogadores acima de 23 anos, porque o clube vetou a liberação ou por contusão, como são os casos de Danilo, Douglas Costa, Philipe Coutinho, Casemiro e William.

Agora, com a ascensão de Tite ao cargo de técnico da Seleção Brasileira principal do Brasil temos um treinador de verdade, o que não acontecia já há muito tempo.

Tite, no entanto, precisará de tempo para organizar taticamente e entrosar a Seleção.

Além disso, Tite terá que mostrar resultados positivos logo no começo das Eliminatórias, pois hoje o Brasil estaria eliminado da Copa, já que é apenas o 6o. colocado nas mesmas, o que é fruto do trabalho medíocre feito pelo arrogante e inepto Dunga.

E o mais incrível é que o Brasil, com toda a desorganização, incompetência e maracutaia de muitos dos seus dirigentes ainda revele tantos talentos e que são contratados pelos maiores clubes de futebol do mundo.

O talento dos jogadores precisa, no entanto, de um mínimo de profissionalismo, organização e de pessoas capacitadas no comando do futebol para que novos títulos possam vir a ser conquistados. 

Com isso, o Brasil voltará a ser respeitado no futebol mundial, pois 'pé-de-obra' qualificada nós temos mais do que a quase totalidade dos países do mundo. Quantos países do mundo revelam tantos bons jogadores quanto o Brasil no futebol? Que eu saiba, nenhum. 

A Mídia, na hora da conquista de algum título, sempre gosta de dizer que um determinado jogador ou atleta conquistou tudo sozinho. Nada mais falso, a não ser que seja o caso de um esporte individual. Em esportes coletivos isso não acontece jamais. 

Quem decidiu a conquista desta Ri 2016 foram todos, incluindo preparadores físicos, nutricionistas, massagistas. No futebol hiper-profissional e altamente competitivo que temos no mundo atualmente o menor detalhe pode fazer, e faz, a diferença. 

Temos um grande número de Seleções competitivas no futebol internacional atualmente. 

Basta ver o que aconteceu na Eurocopa deste ano, que foi conquistada pela Seleção de Portugal, que começou jogando muito mal a competição, mas que foi subindo de produção ao longo da mesma e fez por merecer a conquista, também inédita para o futebol português. E no entanto a seleção portuguesa não teve nenhum jogo fácil na competição. Todos os jogos foram difíceis e equilibrados. E faltou pouco para ela ser eliminada logo na primeira fase. 

E a conquista de Portugal se deu, inclusive, com a ausência de seu principal jogador, Cristiano Ronaldo, na maior parte do jogo decisivo, no qual Portugal derrotou a França por 1 X 0. 

Isso mostra que Futebol é esporte coletivo, detalhe fundamental que muitos esquecem no momento de se analisar as razões para uma conquista. 

Nenhum jogador decide tudo sozinho. 

Até Pelé só ganhou tantos títulos porque jogou ao lado de inúmeros craques, tanto no Santos, quanto na Seleção Brasileira. Peguem a escalação do Brasil que ganhou as Copas de 58, 62 e 70. Só tinha fera. 

A imprensa esportiva internacional elegeu Didi como o melhor jogador da Copa de 58. Não foi Pelé e nem Garrincha, mas Didi o escolhido como o melhor jogador da Copa de 58. 

E quem já viu VT de algum jogo daquela Seleção na Copa de 58 sabe que isso foi justo, porque Didi era o cérebro do time. Todas as jogadas de ataque do Brasil eram organizadas por ele. Mas ele estava acompanhado da maior legião de craques que uma Seleção Nacional já reuniu na história das Copas do Mundo. Nem a Seleção de 1970 tinha tantos craques quanto a de 1958. 

Para se ter uma ideia do nível do futebol brasileiro daquela época, basta dizer que Garrincha era o terceiro na lista de convocados. À frente dele, na lista, estavam Julinho Botelho (da Fiorentina) e Joel (do Flamengo). Mas Julinho recusou a convocação e, com isso, Garrincha foi disputar a sua primeira Copa do Mundo, na qual se tornou titular apenas na terceira, e decisiva, partida, contra a URSS, que o Brasil venceu por 2 X 0. 

Assim, de nada adianta ter um craque no time se os outros 10 forem jogadores medíocres. E não tivemos nenhum perna-de-pau nesta seleção olimpíca. Esta Seleção foi prejudicada na sua preparação porque foi montada, literalmente, em cima da hora. Não tivemos nenhuma Seleção Olimpíca nos últimos quatro anos. Ela foi montada agora, às vesperas da competição. E mesmo assim foi a Campeã, de forma merecida. 

Assim, temos uma geração de bons jogadores que, se forem bem treinados, poderão voltar a conquistar novos títulos para o Brasil, apesar da CBF e da Globo. 

Essa conquista do Ouro na Olimpíada é a prova disso.

Valeu pelo Ouro, Brasil!!!

sábado, 13 de agosto de 2016

O Mundial de Clubes do Corinthians do ano 2000 e a Taça Rio de 1951! - Marcos Doniseti!

O Mundial de Clubes do Corinthians do ano 2000 e a Taça Rio de 1951! - Marcos Doniseti!
O primeiro Mundial de Clubes que foi organizado pela FIFA e que contou com representantes de todas as Confederações do planeta foi o do ano 2000, que foi vencido pelo Corinthians, que disputou o mesmo como representante do país-sede. Em 2013, o Raja Casablanca também disputou o torneio como representante do país-sede (Marrocos) e chegou à final contra o Bayern de Munique, que acabou sendo o Campeão. Em 2014, o Campeão foi o Real Madrid e em 2015 foi o Barcelona. Sempre temos um representante do país-sede nos torneios que a FIFA organiza e no Mundial de Clubes do ano 2000 isso não foi diferente. 
1) O mais interessante dos palmeirenses é que eles não reconhecem o Mundial de Clubes de 2000 do SC Corinthians Paulista, um torneio que foi organizado pela FIFA e que contou com a participação de representantes de todas as Confederações de futebol, de todos os continentes, mas ao mesmo tempo eles reivindicam um Mundial de Clubes que foi realizado em uma época (1951) em que não existia nem Taça Libertadores e tampouco Mundial de Clubes. 

Nem Freud explica; 

2) A Taça Rio foi um torneio internacional importante? Sim. Mas não era Mundial de Clubes. 

Ele não foi organizado pela FIFA e não tinha representantes do mundo todo, de cada Confederação do planeta, tal como acontece desde que a FIFA passou a organizar o Mundial de Clubes, cuja primeira edição foi a do ano 2000 e que foi conquistado pelo Corinthians; 

3) Enquanto isso, o Corinthians disputou o Mundial de Clubes do ano 2000 representando o país-sede, pois havia sido o Campeão Brasileiro de 1998. O Vasco é que entrou como representante da Conmebol, pois havia sido o Campeão da Libertadores de 1998. 

Se um time argentino (digamos, o Boca Jrs.) tivesse sido o Campeão da Libertadores de 1998, ele disputaria a competição no lugar do Vasco. 
A Taça Rio de 1951 foi um importante torneio internacional de clubes, mas não foi um Mundial, que sequer existia ainda. E a Taça Libertadores (criada em 1960) e a Liga dos Campeões da UEFA (criada em 1955) também não existiam. Mesmo assim, os palmeirenses insistem em dizer que foram campeões mundiais... Vá entender.   
E se outro time tivesse sido o Campeão Brasileiro de 1998 (digamos, o Palmeiras) ele disputaria o torneio no lugar do Corinthians. 

Portanto, o Corinthians disputou o Mundial de Clubes do ano 2000 com base nos critérios técnicos determinados pela FIFA. 

Ele conquistou o Campeonato Brasileiro de 1998 e, com isso, conquistou a vaga destinada ao campeão do país-sede; 

4) Nos torneios organizados pela FIFA sempre temos um representante do país-sede (seja clube ou seleção). Somente notórios desinformados é que não sabem disso. É por isso que países que sediam a Copa do Mundo não precisam disputar as Eliminatórias. Este foi o caso do SC Corinthians Paulista no Mundial de Clubes do ano 2000; 

5) No Mundial de Clubes de 2013 (que foi disputado no Marrocos), por exemplo, o Bayern de Munique derrotou o Raja Casablanca na decisão, time que entrou no torneio representando o país-sede (Marrocos), tal como aconteceu com o SC Corinthians Paulista no Mundial de Clubes do ano 2000. O Campeão africano era o El Ahli, do Egito, e não o Raja Casablanca. 
O Corinthians disputou e venceu a Copa do Atlântico de 1956, torneio internacional de clubes que reuniu as principais equipes do Brasil, Argentina e Uruguai (foram 15 clubes no total). A final foi contra o Boca Jrs. O Timão venceu o primeiro jogo, na Bombonera, por 3 X 2 e, desta maneira, o time argentino recusou-se a vir para o Brasil a fim de disputar as outras duas partidas previstas. Com isso, o Corinthians sagrou-se campeão deste torneio que foi uma espécie de Taça Libertadores da época. 
Então, se o Raja Casablanca tivesse sido Campeão Mundial, o título dele não iria valer? Claro que iria. 

Quando o Mundial de Clubes é disputado no Japão, é o clube que conquistou o Campeonato Japonês que representa o país-sede. 

Se o torneio for disputado na Alemanha, será o campeão alemão. 

E assim sucessivamente. 

Entenderam, agora, ou terei que desenhar? 

6) Então, esse discurso de não reconhecer o Mundial de Clubes do Corinthians do ano 2000 é fruto de desinformação e de um anti-corintianismo patético e ridículo. 

Link:

Corinthians conquista a Copa do Atlântico de 1956:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Copa_do_Atl%C3%A2ntico_de_Clubes

http://www.todopoderosotimao.com/p_titulos/atlantico_56.php

Liga dos Campeões da UEFA:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Liga_dos_Campe%C3%B5es_da_UEFA

Taça Libertadores da América:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Copa_Libertadores_da_Am%C3%A9rica

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Já passou da hora da CBF ser extinta! - Marcos Doniseti!

Já passou da hora da CBF ser extinta! - Marcos Doniseti!
Marin e Del Nero se tornaram os comandantes da CBF depois que Ricardo Teixeira saiu de cena: Precisa dizer alguma coisa?
A seleção de futebol masculino está indo mal nas Olimpíadas? Qual é a surpresa, afinal?

Surpresa seria se estivesse indo bem.

Vamos aos fatos:

1) Não tivemos nenhuma Seleção Olímpica formada e devidamente treinada e preparada para jogar nestas Olimpíadas.

Os outros esportes coletivos (principalmente o Vôlei e o Handebol) treinaram, no mínimo, quatro anos consecutivos para chegar até aqui.

O Basquete vive uma séria crise e, por isso mesmo, deverá ir mal nos jogos também;

2) Quantas vezes o time de futebol masculino jogou junto antes das Olimpíadas começarem? Quanto tempo tiveram para treinar?

Quase nada.

Resultado: Entrosamento zero.

De fato, não temos uma Seleção. O que temos é um 'catadão'.

Reuniram os jogadores na véspera da disputa, com diferentes níveis de preparação física (alguns estão no meio da temporada e outros estão no início, o que é o caso do Neymar) e, assim, não há entrosamento algum.

Não se iludam: A época em que o Brasil jogava a camisa para o alto, entrava no time quem as pegava, íamos para o jogo e conquistávamos títulos, acabou há muito tempo.

Se é que algum dia isso existiu;

3) Muitos, atualmente, ainda assistem maravilhados o futebol de altíssimo nível que a Seleção de 70 do Brasil mostrou na conquista do tricampeonato mundial, no México.

O que muitos não sabem é que aquela Seleção, que era repleta de craques (Pelé, Rivellino, Gérson, Tostão, Clodoaldo, Jairzinho, Carlos A.Torres, Piazza... todos craques incontestáveis do futebol brasileiro), ficou 4 meses seguidos concentrada, treinando para a Copa de 70;

Resultado: Show de bola e a conquista do Tri;

4) Neymar e demais jogadores que atuam na Europa nem deveriam estar disputando as Olimpíadas.

E o motivo é simples: Eles estão em início de temporada. Seus clubes estão em plena pré-temporada, fazendo jogos de preparação.

Logo, eles estão mal preparados fisicamente e sem nenhum ritmo de jogo.

Portanto, a Seleção olímpica deveria ter sido formada apenas por jogadores que atuam no futebol brasileiro, pois aqui estamos no meio da temporada e os jogadores estão muito bem preparados fisicamente e com bom ritmo de jogo;

5) Todas as seleções que disputam torneios de alto nível (no Futebol, Vôlei, Basquete) precisam de um tempo mínimo de preparação, treinamento, organização, enfim, um patamar mínimo de organização, de competência e de profissionalismo caso queiram conquistar bons resultados.

Sem isso, esqueçam.

E não tivemos nada disso no caso da Seleção masculina de futebol.

Já no caso da Seleção Feminina, o nível de preparação foi muito melhor.

As mulheres treinam e jogam juntas há muito mais tempo e, por isso, estão muito bem entrosadas. Com isso, elas jogam bem e o grau de confiança e o desempenho vão melhorando a cada jogo;

6) Com todo esse festival de amadorismo, mediocridade e incompetência que cercou a 'preparação' da seleção olímpica de futebol masculino, cobrar alguma coisa dos jogadores é injusto e equivocado.

Eles não tem culpa pela mediocridade dos dirigentes da CBF, que estão mais preocupados em fugir da Justiça do que em administrar o futebol brasileiro com um mínimo de competência e profissionalismo.

É que nestas horas não aparece nenhum dirigente para assumir a responsabilidade pelos fracassos e sobra tudo para os jogadores.

E os torcedores vão no embalo de uma imprensa esportiva medíocre, que sempre encontra um bode expiatório no qual colocar a culpa, mas não diz nada sobre a preparação inexistente da seleção;

7) Portanto, não há nenhum motivo para surpresa pelo fato da Seleção feminina ter um desempenho muito superior ao da Seleção masculina de futebol nesta Olimpíada.

Como diz Muricy: 'Aqui é trabalho, meu filho'.

Quem trabalha, acaba colhendo os resultados. E quem faz tudo na base do 'oba oba', sem qualquer preparação efetiva e bem feita, também colhe resultados, mas bem piores.

Essa CBF deveria ser extinta. Não dá mais.

Esses dirigentes incompetentes colocaram um medíocre como o Dunga para dirigir a Seleção Brasileira principal, após o fracasso na Copa de 2014, e o resultado foi uma sucessão de fracassos e de vexames, de tal forma que se as Eliminatórias da Copa de 2018 já tivessem terminado, o Brasil estaria fora da disputa. Falta menos de 2 anos para a Copa de 2018 e não temos um time formado e sequer um esquema de jogo definido.

Depois, quando chegar a Copa de 2018, se o Brasil se classificar e acabar fracassando, vão jogar a culpa nos jogadores novamente.

E os grandes culpados, os medíocres e ineptos dirigentes do futebol brasileiro, principalmente os da CBF, serão poupados.

A CBF deveria ser extinta, pois seus dirigentes já demonstraram a sua total incapacidade para gerir o futebol brasileiro com um mínimo de competência e de profissionalismo, que são essenciais para se conquistar qualquer campeonato ou torneio importante.

Fora, CBF! Acabem logo com essa porcaria. E o quanto antes.

Futebol brasileiro precisa passar por um processo de reestruturação e de reorganização:

Um ótimo exemplo de como isso poderia ser feito é a Alemanha, que sofreu uma forte queda na qualidade do seu futebol, dando vários vexames em Copas do Mundo e na Eurocopa (foi eliminada pela Bulgária na Copa de 1994, pela Croácia na Copa de 1998 e não passou da primeira fase da Eurocopa 2000, competição da qual saiu sem nenhuma vitória sequer).

Suas seleções eram medíocres tecnicamente, jogando um futebol feio, que vivia de força física, carrinhos e chuveirinhos.

O que os alemães fizeram? Culparam o 'estrelismo' de 'jogadores mimados'? Não. Nada disso.

Identificaram os seus principais problemas e reorganizaram e reestruturaram inteiramente o seu futebol.

Investiram na formação dos seus técnicos (inclusive para os das categorias de base), aprimoraram a técnica dos jogadores, identificaram os melhores talentos, colocaram-nos para jogar e treinar juntos desde jovens.

Uma outra exigência importante foi a de que qualquer clube que desejasse disputar a Primeira Divisão alemã teria que, obrigatoriamente, possuir um Centro de Treinamento para as categorias de base.

E o resultado foi o que se viu: Novos e talentosos jogadores foram revelados e, assim, a Alemanha conquistou o 3o. lugar na Copa de 2010 e o Título da Copa de 2014.

Agora, ela já está em um momento de transição, em que alguns jogadores veteranos estão saindo da Seleção (Schweinsteiger, Podolski, Lahm) e dando lugar a novos talentos.

Independente disso, a Alemanha continuará sendo uma das grandes forças do futebol mundial, pois possui uma estrutura e uma organização impecáveis.

Enquanto isso, o futebol brasileiro, com a sua falta total de planejamento, profissionalismo, de estrutura e de organização continuará sofrendo sucessivos e humilhantes fracassos, bem como continuará culpando os ‘jogadores mimados’ pelos mesmos.

Nelson Rodrigues já dizia: Subdesenvolvimento não se improvisa. É uma obra de séculos.

Haja mediocridade.


Links:

Alemanha: De fiascos na Europa à consagração:


Do El País: Brasil empata por 0 a 0 com o Iraque na Olimpíada

Seleção olímpica joga mal, empata a segunda nos Jogos do Rio e sai vaiada de campo: