Time GRANDE!

Como você sabe que um time é Grande, mas GRANDE, mesmo? Quando os torcedores de TODOS os outros times torcem contra ele, oras!

Do proprietário deste blog, Marcos Doniseti.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Uma torcida que tem um time - A invasão corintiana de 1976!

Livro sobre a Invasão Corinthiana ao Rio de Janeiro, ocorrida há 35 anos, é uma ferramenta valiosa para separar fato e ficção

“O Rio é uma cidade ocupada”, anunciava Nelson Rodrigues em crônica publicada no dia seguinte à invasão corinthiana da capital fluminense. E invasão não é um exagero, uma vez que, no dia 5 de dezembro de 1976, cerca de 70 mil torcedores do alvinegro do Parque São Jorge se deslocaram até a Cidade Maravilhosa para acompanhar a semifinal do Campeonato Brasileiro.  
    
De carro, de ônibus, de avião, de barco, de bicicleta ou mesmo a pé, dezenas de milhares de torcedores se encaminharam ao Rio de Janeiro numa espécie de romaria que buscava como bênção o fim do jejum de 22 anos sem títulos. Como adversário, o Fluminense, cujo elenco estelar era conhecido como “Máquina Tricolor” e que tinha como principal jogador o ex-Reizinho do Parque, Rivellino.      

Com tantos elementos dramáticos envolvidos em único episódio, é normal que fato e ficção se confundam na memória e na crônica esportiva. Mas o recém- lançado A Invasão Corinthiana – O dia em que a Fiel tomou o Rio de Janeiro para ver seu time no maior estádio do mundo é uma ferramenta eficaz para separar um do outro.

Escrito pelos jornalistas Igor Ojeda, editor do Brasil de Fato, e Tatiana Merlino, editora-adjunta da revista Caros Amigos, o livro-reportagem reúne depoimentos de personagens ligados ao jogo, como os ex-atletas Zé Maria e Ruço, a esposa do então presidente corinthiano Vicente Matheus, dona Marlene, o ex-presidente do Tricolor das Laranjeiras, Francisco Horta, e, principalmente, vários torcedores que ajudaram a transformar a Via Dutra na Via Corinthians.   
        
Não é um livro restrito aos corinthianos, nem mesmo um livro restrito aos fanáticos por futebol.

Como avisa o jornalista Juca Kfouri no texto de apresentação, trata-se de “uma reportagem e uma pesquisa valiosas, para rememorar o maior deslocamento de massa em tempos de paz da história da humanidade”.       

Vale lembrar ainda que somente no ano seguinte – com o Campeonato Paulista de 1977, conquistado diante da Ponte Preta de Campinas – o clube encerraria o jejum de 23 anos sem título.     

Pois como disse o ex-lateral Wladimir: “Todo time tem uma torcida. O Corinthians é o inverso: é uma torcida que tem um time”.

Aldo Gama é jornalista  

SERVIÇO

Livro: A Invasão Corinthiana – O dia em que a Fiel tomou o Rio de Janeiro para ver seu time no maior estádio do mundo
Autores: Igor Ojeda e Tatiana Merlino
Editora: LF Editorial
Páginas: 208
Preço: R$ 49

Link:


http://www.brasildefato.com.br/content/uma-torcida-que-tem-um-time